7 itens colecionáveis mais caros do mundo

O mundo do colecionismo tem as suas surpresas. Alguns itens são considerados raros, mas tão raros que muita gente pagaria milhares (e até milhões) de dólares por um simples selo ou moeda.

É o caso desses 7 itens que separamos pra você conhecer nessa hiperlista de hoje:

1 – Os restos de pão mais caros do mundo

No ano 2000, a estação de rádio de Nova York Z-100 entrevistou Justin Timberlake e, durante a entrevista, o artista comeu duas fatias de torrada francesa. Melhor dizendo, ele comeu seu lanche quase todo.

Percebendo que aquele “lixo” poderia gerar uma publicidade pra emissora, a estação de rádio promoveu um leilão com aqueles farelos e uma ouvinte de 19 anos chamada Kathy Summers deu o maior lance: US $ 1.025!

Detalhe: o dinheiro arrecadado no leilão foi doado para a caridade, mas não sabemos até hoje se a compradora comeu a torrada ou se guardou os farelos.

 

2 – A lata de refrigerante mais cara do mundo

A lata de refrigerante mais cara do mundo, na verdade, não contém nenhum refrigerante em seu interior. A lata de US$ 250.000 está vazia e é exatamente por isso que ela se tornou tão rara e cara.

A linha de produção da Coca-Cola muito raramente falha por algum motivo e uma lata lacrada escapou vazia e acabou parando no site de leilões Ebay, alcançando o valor de US$ 250.000. O caso aconteceu em 2014.

 

3 – O molho do McDonalds mais caro

Em 1998, o McDonald’s estreou o molho Szechuan McNugget, numa jogada de marketing em parceria com a Disney, para promover o lançamento do filme Mulan. 

Como era um produto promocional, o molho saiu do mercado em poucas semanas e não se falou mais nele até que um desenho chamado Rick e Morty fez uma piada com o tal molho, em 2017, fazendo os saudosistas voltarem a citar o produto nas redes sociais.

Nesse sucesso repentino, uma pessoa encontrou um pacote do molho Szechuan de 1998 fechado no porta-luvas de um carro e conseguiu vende-lo por US$ 14.700 no eBay.

Azar do comprador, pois o McDonalds aproveitou o sucesso do assunto para relançar o molho novamente em 2017 por várias semanas.

4 –  A caixa de cereal mais cara 

Esse item é um caso curioso e mostra como o saudosismo pode elevar o preço de algo cujo valor é bem baixo. A Kellog’s vendia na década de 1960 seu produto numa embalagem chamada Post Ten. A caixa vinha com dez caixinhas com diferentes tipos de cereal.

Em 2016, um pacote Post Ten fechado de 1961 foi vendido por US$ 2.550. Só não sabemos se quem pagou essa fortuna comeu o produto (será que ainda estava comestível?)

 

5 – A boneca Barbie mais cara

Em 2010, a Mattel lançou uma boneca especial juntamente com o designer de joias australiano Stefano Canturi. Essa Barbie usava um vestido de noite preto e colar elaborado com diamantes rosa e brancos reais de um quilate. 

Uma única dessas bonecas foi vendida em um leilão por $ 302.500. Todo o dinheiro arrecadado foi usado para financiar a pesquisas do câncer de mama.

Stefano Canturi ao lado de sua criação! (foto: Divulgação)

 

6) A peça de Lego mais cara

Em 2017, a casa de leilões Catawiki vendeu uma peça de Lego de ouro maciço por $19.793.

Entre os anos de 1978 e 1981, a Lego teve uma tradição de presentear com um lego de ouro seus funcionários com mais de 25 anos de empresa. Apenas 10 blocos de ouro foram feitos! 

Blocos de lego de ouro eram dados aos funcionários mais antigos da empresa! (foto: Divulgação)

 

7) O cartão Pokémon mais caro

Em 2020, um cartão do Charizard holográfico sem sombras da primeira edição original foi vendido por $ 369.000 no Goldin Auctions. 

O que torna esse card tão caro é que ele é um dos mais raros do conjunto original de jogos de cartas. Charizard foi classificado como o quarto Pokémon mais popular em 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *