7 Curiosidades sobre Round 6 (sem spoiler)

Conheça nessa hiperlista algumas curiosidades sobre a série Round 6.

A série sul-coreana Round 6 está prestes a bater todos os recordes de audiência na plataforma de filmes Netflix, ultrapassando a marca de 82 milhões de espectadores no mundo todo. Tal fenômeno é uma surpresa para os criadores, visto que produções fora dos Estados Unidos não tem um histórico de grandes audiências.

Sem nenhum spoiler, trouxemos nessa hiperlista de hoje 7 curiosidades sobre essa série tão diferente:

1 – A boneca existe mesmo!

A boneca gigante da brincadeira ‘Batatinha 1, 2, 3’ é real! Ela foi emprestada para a série pelo museu Macha Land, mas já foi devolvida para seu local de origem, no condado rural de Jincheon. Quando foram devolver, ela estava com uma das mãos faltando. 

 

2 – Round 6 demorou 13 anos para ser lançada

O diretor Hwang Dong-hyuk disse em entrevistas que criou o conceito da série em 2008, mas achou melhor esperar mais alguns anos para tirar do papel, numa época onde a trama faria mais sentido para os espectadores.

3 – O valor do prêmio em reais

De acordo com a série, o prêmio para quem vencer os jogos é de 45,6 bilhões de won coreanos, o que daria algo de cerca de R$ 200 milhões. Já pra quem perde, o preço a se pagar é a morte, mas os competidores só descobrem isso quando já estão participando.

4 – Explicações sobre o figurino

A série possui vários símbolos, representados nas máscaras – que foram inspiradas em colônias de formigas (assim como entre as formigas, cada membro tem sua função). Quanto aos macacões, a produção explicou em entrevistas que eles são iguais para mostrar igualdade, e as máscaras são diferentes para representar as funções de cada membro. 

Por exemplo: os soldados usam o triângulo, os trabalhadores usam o círculo e somente os chefes e líderes usam o quadrado.

5 – Sobre os símbolos

Círculo (O), triângulo (J) e quadrado (M), representam as iniciais do nome da série em coreano. OJM significa “Ojingeo Geim” (jogo da lula), que é o nome da série na Coreia.

6 – O telefone é real

Assim como a boneca mostrada na série, o telefone exibido também existe e pertence a uma pessoa que mora em Gyeonggi, na Coreia do Sul. 

O ruim é que desde a estreia da série, a dona do telefone vem recebendo mais de 4 mil ligações por dia e a grande maioria, segundo ela, é de gente do mundo ligando para participar do jogo.

7 – Sem computação gráfica nos participantes

No mundo do entretenimento, existem mil formas de se utilizar computação gráfica para simular multidões. Esse recurso barateia a obra e agiliza muito o processo de produção. Só que não foi o caso de Round 6. É que todos os 456 participantes do jogo foram interpretados por pessoas reais, sem a ajuda de computação gráfica.

Todos os competidores são atores de verdade! Sem computação gráfica aqui! (fotos: Divulgação)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *